Relato de Viagem: Canadá

A nossa seguidora Valéria Schneidr (@valeriaschneidr) inicia hoje um relato da viagem dela pelo Canadá.

Realizei a viagem para o Canadá acompanhada do meu marido e filho de 12 anos. Passamos pelas principais cidades da Costa Leste: Niagara-Falls, Toronto, Ottawa, Montreal e Quebec City, também visitamos Mont-Tremblant, um lindo resort com estação de esqui.

Nossas férias foram no início do mês de dezembro/2018, as cidades estavam decoradas para o Natal, em todos os cantos iluminações, feirinhas, shows e é claro, a neve que deixou tudo mais encantador. Inclusive, Quebec City tem um clima tão natalino que desconfiamos que o Papai Noel ou Père Noël (como eles dizem) vive por lá.

Organizei o roteiro para ficarmos 15 dias no Canadá, considerando 02 dias entre ida e volta. Foi a nossa primeira experiência com a Aeroméxico e ficamos muito satisfeitos, aeronaves novas, bom atendimento, várias opções de entretenimento, certamente voltaremos a utilizar os serviços da companhia. A Aeroméxico oferece vôos com ótimos preços para o Canadá, tendo como destino final Montreal e Toronto na costa leste e Vancouver na costa oeste.

Partimos de São Paulo (GRU), sentido Montreal (Trudeau), com conexão na Cidade do México, onde foi necessário preencher o formulário de imigração, já no vôo para Montreal nada foi solicitado.

Na chegada em Montreal nos dirigimos ao controle automático de passaporte, o procedimento foi realizado para nós três ao mesmo tempo. Escaneamos os passaportes, tiramos fotos, respondemos todas as perguntas (aquelas de costume “motivo da viagem”, “quanto tempo irá permanecer”) e ao final foi impresso um recibo, este deve ser entregue na saída da área de embarque e desembarque. Foi à primeira vez que utilizamos esse serviço de imigração automático, achamos simples e rápido. A máquina tem opção de vários idiomas, mas nesse caso não tinha Português.

O aeroporto de Montreal é organizado, bem sinalizado, fácil de se locomover. Após pegarmos as bagagens fomos direto retirar o carro a qual fizemos a reserva ainda no Brasil pelo site da Alamo. Dirigir pelo Canadá é ótimo, boas estradas não pedagiadas, pouco movimento, com exceção de cidades maiores como Toronto e Montreal que pegamos trânsito, mas somente em horários de pico. Não é necessário Carteira de Habilitação Internacional para dirigir no Canadá. Em todas as cidades utilizamos estacionamentos pagos, o site www.parkme.com nos ajudou muito. Toronto possui alguns aplicativos, entre eles o “Toronto Parking” com ele é possível localizar estacionamentos pagos e vagas na rua. Alugar carro pode não ser a maneira mais barata para se locomover em uma viagem, mas gostamos muito da mobilidade que o carro nos oferece. Sem contar que é uma experiência muito agradável dirigir em diferentes lugares, ficamos um pouco preocupados por causa da neve, mas foi super tranqüilo, as estradas estavam sempre “limpas”.

Caso você não goste de frio, não aconselho ir ao Canadá no inverno e nem mesmo em datas próximas, como final do outono ou começo da primavera, pois a nossa viagem foi no início do mês de dezembro até o início da segunda quinzena, ou seja, oficialmente ainda era outono e mesmo assim por quatro dias enfrentamos temperaturas abaixo de – 20º graus. Durante toda a nossa viagem somente um dia em Toronto tivemos temperatura positiva (2º graus), mas a sensação térmica estava negativa. Em Ottawa e Mont-tremblant enfrentamos temperatura de – 24º graus com sensação térmica de -25º graus, foi surreal, nunca imaginei encarar temperaturas tão baixas. É claro que fomos preparados com roupas e calçados apropriados, nada muito elegante (principalmente para as mulheres), mas era necessário. Fizemos todos os passeios que estavam programados, as temperaturas baixas e nem mesmo a neve foram empecilho. Deve-se levar em consideração que os dias são bem mais curtos nessa época do ano, em média o por do sol é às 16:30 hrs.

A nossa experiência com o frio extremo e a neve foram as melhores possíveis, mas é claro que está em nossos planos voltar para o Canadá em outra época do ano, certamente vai ser uma experiência nova e única. Talvez, aproveitar a eTA ainda válida (risos), boa essa desculpa, hein. Nós aplicamos para a eTA (Autorização de viagem eletrônica), pois possuímos visto americano válido. O processo é totalmente online, simples e rápido. A solicitação deve ser realizada individualmente para cada membro da família, onde ao final do preenchimento dos dados deve ser efetuado o pagamento no valor de C$ 7,00 no cartão de crédito e em poucos minutos você receberá um e-mail. A eTA tem validade de no máximo 05 anos ou até que seu passaporte expire, uma particularidade da Autorização Eletrônica é que ela permite somente entrada via aéreo no Canadá, caso você deseje chegar por via terrestre ou marítima, deve aplicar para o visto regular. Em nossa viagem atravessamos a borda de carro para os Estados Unidos e não tivemos nenhum problema, pois a nossa entrada no Canadá foi via aérea no aeroporto de Montreal. Quando voltamos para o Canadá de carro percebemos que alguns fiscais ainda estavam um pouco confusos quanto a utilização da eTA, pois o “visto” é digital e não tem carimbo no passaporte na chegada no aeroporto, somente após realizar algumas consultas no sistema fomos autorizados a entrar novamente no país, não posso deixar de destacar o quanto os fiscais da imigração foram atenciosos. A população canadense é extremamente educada e receptiva. O bom atendimento em restaurantes, hotéis e no comércio em geral foi algo que nos chamou a atenção positivamente, nos sentimos muito acolhidos.

O Canadá tem duas línguas oficiais, Inglês e Francês, saindo da Província de Ontário e entrando na Província de Quebec é como estar em outro país. Tudo está em Francês, desde as placas de sinalização aos cardápios dos restaurantes. Em Montreal fomos ao Wallmart, as etiquetas, os anúncios de promoções, o auto-atendimento para pagarmos, 100% em francês. Podemos notar que a grande maioria dos moradores são bilíngüe, pois quando percebiam que não falávamos francês “trocavam” para o inglês, com exceção em Quebec City e Mont-tremblant, que em duas situações fomos atendidos por pessoas idosas, e mesmo entendendo em inglês continuavam respondendo em francês. E as diferenças não se aplicam somente à língua utilizada nas Províncias, pois cada cidade tem sua particularidade, algumas possuem pontos turísticos modernos, outras centros históricos deslumbrantes e em algumas cidades é possível ter contato com a natureza. Uma coisa é certa, você terá bons momentos, muitas fotos, lembranças e uma excelente experiência gastronômica, pois é “obrigatório” provar alguns pratos típicos canadenses.

É possível encontrar o Poutine até mesmo no McDonald´s para ter idéia do quanto este prato é popular. Em Toronto não deixe de visitar o Carousel Bakery, fica dentro do St. Lawrence Market e provar o Peameal Bacon Sandwich. Outra delicia canadense é o Bagel, muito popular no país, inclusive faz parte do cardápio do Tim Hortons, ah, e prepare-se para ver um Tim Hortons a cada esquina. Essa franquia tem café, chocolate quente e lanches deliciosos. Quer uma comida reconfortante? Visite o Queues de Castor (BeaverTails), tem esse nome, pois a massa frita tem o formato de uma cauda de castor. E depois de provar todas essas delícias, que tal fazer umas comprinhas? Nós não compramos eletrônicos e roupas, somente souvenir e alguns itens pequenos, por que apesar do real ter uma cotação melhor em relação ao dólar canadense do que ao dólar americano, os impostos sobre produtos são maiores no Canadá do que nos Estados Unidos. Agora, se a sua viagem for especificamente para o Canadá, pode ser que compense, pois os itens que olhamos estavam com preços melhores que no Brasil. Passamos em alguns shoppings, mais para apreciar as decorações de Natal e nos aquecer do que para fazer compras e não fomos em nenhum outlet.

Visitamos a Dollarama, que é uma franquia com mais de 1000 lojas distribuídas em todas as províncias canadenses. Achei muito semelhante ao Dollar Tree, tem tudo que você pode imaginar, meu filho comprou alguns brinquedos para fazer bolinhas de neve. Nos divertimos muito nesse tipo de loja, assim como mercados. Gostamos de ver produtos, comidas e itens que fazem parte do cotidiano das pessoas que vivem no país em questão.

Sempre quando pensamos em um destino e planejamos as nossas viagens esperamos o melhor, criamos expectativas, e ainda assim alguns lugares acabam nos surpreendendo e foi exatamente isso que aconteceu com o Canadá. Que país INCRÍVEL. Nos próximos posts. vou compartilhar um pouco da nossa experiência em cada uma das cidades da costa leste canadense que visitamos.

[Best_Wordpress_Gallery id=”31″ gal_title=”Valéria – Canadá”]

Valéria Shneidr

Para frases úteis de inglês para viagem, siga o nosso perfil no instagram: @inglesparaviagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.